Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Celebrar o livro com livros infantis que transbordam livros

Abril é um mês de especial celebração para o universo dos livros com a comemoração de duas datas significativas em que se assinala a importância do livro enquanto bem cultural e po nosso desenvolvimento intelectual logo desde a infância. Em tempos tão difíceis e de forte revés para este mercado tão especial para todos nós livrólicos nunca é demais evidenciar a sua relevância não esquecendo as datas que os evocam e se possível comprando livros.

No dia 2 comemorou-se o Dia Internacional do Livro Infantil que se celebra desde 1967 por iniciativa do Conselho Internacional sobre Literatura para os Jovens (IBBY). O dia foi escolhido em homenagem ao escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, (autor de algumas das histórias para crianças mais lidas em todo o mundo) que nasceu precisamente a 2 de Abri de 1805.
Já a 23 de Abril comemorou-se o Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor instituído pela Unesco em 1995 e cuja data foi escolhida por ser um dia significativamente importante para…
Mensagens recentes

O Amor aos livros e à literatura n' Os Livros que Devoraram o Meu Pai de Afonso Cruz

Este ano por aqui o dia da celebração do amor assinala-se na vertente amor à literatura e aos livros através de um pequeno hino a esse mesmo amor bibliófilo escrito por Afonso Cruz e que ressalta a magia que os livros têm de nos envolverem, de nos permitirem viver outras vidas e por vezes de nos fazerem perder nas suas histórias, mais ou menos literalmente.


OS LIVROS QUE DEVORARAM O MEU PAI de Afonso Cruz Editorial Caminho, Maio 2015 (1ª edição 210) Infanto-Juvenil 128 páginas


Vivaldo Bonfim amava os livros e a literatura, só pensava neles, lia compulsivamente e um dia de tão concentrado e embrenhado que estava na leitura, entrou livro adentro, perdeu-se, foi devorado pela "A Ilha do Dr. Moreau" de H.G. Wells e nunca mais ninguém o viu. Aos doze anos o seu filho Elias herda a sua biblioteca, o seu reduto literário instalado no sótão da casa da avó e a paixão pelos livros e pela literatura acaba por passar de pai para filho.

Ao mesmo tempo que descobre este novo mundo das let…

E os melhores de 2019 foram...

Ainda não foi em 2019 que consegui completar o desafio do Goodreads em que me propunha a ler 25 livros mas continuo a persistir e vou manter o mesmo objectivo para este ano. O ano passado li apenas 15 livros (menos dois do que o ano passado), num total de 2.857 páginas. O livro mais pequeno que li foi "Para Averiguar do seu Grau de Pureza" de Jacinto Lucas Pires e o maior "Os Maias" de Eça de Queiroz, sendo o mais popular "Cândido ou o Optimismo" de Voltaire e o menos "Pérola" de Arlete Castro.
Gostaria que tivessem sido bem mais, mas foi um ano de algumas distracções e períodos de falta de motivação literária. E gostaria também de ter conseguido trazer muitas mais opiniões e impressões das leituras que fui fazendo mas foi o que consegui. Esperemos que 2020 seja mais produtivo.



O MELHOR DE 2019

Na estreia com o autor deparei-me com uma história surpreendente que pela diferença da sua construção e desenvolvimento me prendeu e fascinou. José Saramag…

Sofia no Mundo das Coisas Perdidas

A minha paixão por livros leva-me a gostar de todos os géneros que abordem a sua magia e encantamento passando também pelos infanto-juvenis onde tudo tem outra pureza. Este é um livro juvenil que me chamou a atenção primeiro pela capa de cores vibrantes e depois claro está pela alusão ao poder dos livros e do que eles permitem. E poderá ser uma óptima sugestão de Natal para os mais pequenos.



Sofia é uma menina que gosta de ler e os livros são a sua companhia na recorrente ausência dos pais, tem um livro mágico dado pelo pai mas que é simultaneamente proibido por não poder ser lido diante de adultos com a excepção do próprio pai. Cansada das histórias já de cor sabidas e com avidez e curiosidade por mais conhecimento quer abrir o armário dos livros proibidos, mas falta-lhe a chave para o abrir e para a encontrar vai fazer uma viagem por um mundo de fantasia até ao Mundo dos Objectos Perdidos.

É uma fábula repleta de seres fantásticos que vão apelar à imaginação das crianças realçando …

Conversa Autobiografia - Entre a Ficção e a Realidade e a "Autobiografia" de José Luís Peixoto

No âmbito da V Festa do Livro da Amadora, cujo destaque eram as diversas formas de escrever a vida e de BIOgrafar fui assistir à Conversa Autobiografia - Entre a Ficção e a realidade com o escritor José Luís Peixoto e o seu editor Francisco José Viegas moderada por Carlos Vaz Marques na Biblioteca Municipal da Amadora.

O ponto de partida foi o mais recente livro de José Luís Peixoto "Autobiografia" cujo título só por si já suscita e pode levantar inquietações quanto à relação entre a ficção e a realidade pois não se trata propriamente da autobiografia do autor.
Num livro de pendor biográfico, existirá sempre a tentativa de descodificação entre o que é real e o que é ficção por parte do leitor com tentativas de interpretação sobre o que é autobiográfico e o que é ficcional, mas para José Luís Peixoto isso tem pouca importância pois ao se tentar fazer essa distinção estamos a tentar distinguir o narrador do autor e onde começa e acaba uma e outra entidade e talvez nunca se ch…

Novidades Desejadas: Livros com livros dentro

Já há algum tempo que por aqui não divulgo novidades, mas surgiram bem recentemente dois livros sobre livros de géneros bem diferentes que me despertaram o interesse pois qualquer livrólico que se preze é incapaz de ficar indiferente a obras que abordem os livros, as livrarias ou as bibliotecas e todo este mundo á volta do objecto livro que nos preenche e fascina.
A primeira sugestão é no âmbito da história e combina um dos acontecimentos históricos que mais me suscita curiosidade, a Segunda Guerra Mundial e livros num episódio pouco conhecido dos dias mais negros deste conflito.




A história quase inacreditável de um grupo de poetas e intelectuais residentes no gueto de Vilna - a «Jerusalém da Lituânia» - que arriscaram a vida para resgatarem milhares de livros e manuscritos apreendidos por nazis e soviéticos. Um relato de heroísmo e resistência, amizade e amor, de verdadeira devoção à literatura e à arte, baseado em documentos judaicos, alemães e soviéticos, incluindo diários, cartas,…

Clube de Leitura "Regaleira de Livros"

Pois é criei um Clube de Leitura e realizei um dos meus muitos projectos relacionados com esta minha paixão e vício pelos livros.  Depois da minha entusiasmante experiência no Clube dos Clássicos Vivos fiquei com vontade de criar um, mais generalista e abrangente e na minha área de residência, não só com o intuito de conhecer os meus vizinhos leitores e de poder partilhar com gente próxima toda esta paixão, mas também para criar sinergias com vista à dinamização da leitura ao nível da área de Sintra. Pois ideias não me faltam!!!
O nome "Regaleira de Livros" surge pela referência, claro está a um ícone da região, a Quinta da Regaleira, e também por significar uma vida airada, regalada neste caso com e à volta dos livros que de certeza dão muito prazer e alegria a todos os que participarão no Clube de Leitura.

Neste clube iremos ler todos os meses um livro subordinado a um tema escolhido e depois também teremos espaço para um pequeno debate/discussão à volta de um tema livról…