Livro de Citações - Os Filhos da Mãe




«- Abandonei-me a mim, mas não o abandonei a ele, olha que história! - E estendendo-me a moldura, toda orgulhosa: - Já viste bem esta carinha? Nunca mais insisti, mas ficou-me aquela dúvida: como era possível amar-se tanto assim?»






« Olha, não sei o que é pior: se a moínha da suspeita, se o soco da evidência.»


«- Achas os homens cobardes, é? 

- Tanto ou tão pouco como nós, não é esse o problema.

Então? - é que ao fim destes séculos todos ainda se preocupam em escondê-lo.- E como me tratariam vocês se o reconhecêssemos? 

- Da mesma forma que vocês nos tratam, quando nos descobrem fraquezas.- E que é...? - Com desprezo.- Mas que disfarçamos... com um desprezo ainda maior!

E impacientemente:

- Ainda não percebeste, caraças? O que nos desilude nos homens não é a fragilidade, é a batota!»


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Encontro de Booktubers e Bloggers em Leiria

Novidades Desejadas - Livros infanto-juvenis inspiradores

E os melhores de 2018 foram...