sábado, 8 de abril de 2017

O Meu Livro Infantil Preferido


Dia 2 de Abril comemorou-se o Dia Internacional do Livro Infantil e o meu preferido é sem sombra de dúvidas "O Principezinho" de Antoine de Saint-Exupéry. Tenho duas versões. o livro comum oferecido, se não me falha a memória, no meu aniversário de 10 anos por um amiguinho e mais recentemente comprei O Grande Livro Pop-Up. 

É um livro intemporal talvez até mais apropriado para os mais crescidos com grandes verdades ditas pela boca de uma criança ou melhor de um Príncipe que decide deixar o seu planeta e partir à descoberta do Mundo que o rodeia e nos vai relembrando ao longo dessa aventura o que é essencial na vida, mas tantas vezes esquecido.



(...) Ando à procura de amigos. O que é que "estar preso" quer dizer?
— É uma coisa que toda a gente se esqueceu - disse a raposa. — Quer dizer que se está ligado a alguém, que se criaram laços com alguém.
— Laços?
— Sim, laços - disse a raposa. — Ora vê: por enquanto, para mim, tu não és  senão um rapazinho perfeitamente igual a outros cem mil rapazinhos. E eu não preciso de ti. E tu também não precisas de mim. Por enquanto, para ti, eu não sou senão uma raposa igual  a outras cem mil raposas. mas, se tu me prenderes a ti, passamos a precisar um do outro. E, para ti, eu também passo a ser única no mundo.

— Era melhor teres vindo à mesma hora - disse a raposa. Se vieres por exemplo, às quatro horas, às três, já eu começo a ser feliz. E quanto mais perto for da hora, mais feliz me sentirei. Às quatro em ponto já hei-de estar toda agitada: é o preço d felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca saberei a que horas é que hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo , a pô-lo bonito...

(...) Vou contar-te o tal segredo. é muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos... (...) 
— Foi o tempo que tu perdeste com a tua rosa que tornou a tua rosa tão importante. (...)
— Os homens já se esqueceram desta verdade - disse a raposa. — Mas tu não te deves esquecer dela. Ficas responsável  para todo o sempre por aquilo que está preso a ti. Tu és responsável pela tua rosa...
E é por isto que eu gosto tanto deste livro... é de uma simplicidade inspiradora para pessoas de qualquer idade, uma lição de vida pelos olhos de uma criança e a que a cada leitura ou releitura se podem retirar significados diferentes.




Sem comentários:

Enviar um comentário